Latinhas do Bob
  

Aspen (Brasil, 350ml) e

Chinotto (Brasil, 350ml)

Tão interessante quanto achar novas latinhas, muitas vezes, é ver quem as vende. Esse foi um caso: depois de um almoço japa na Vila Madalena, resolvi dar uma passada no mercado local. Lá, do lado da feira, tem uma lojinha, nos fundos, com toda sorte de produtos. Entre eles, claro, cervejas e refrigerantes em lata. É um bom teste para os olhos: no canto direito, no alto, há (ou havia) uma latinha de Kirin, escondida mesmo. Mais à esquerda, no alto também, ficam outras latas. Desafio mesmo, porém, é conseguir procurar itens para a coleção com tanta atenção do dono, um tipo, digamos assim, bastante entusiasmado com a produção própria de alguns itens, como molho shoyu e gengibre. Se for lá, vá com tempo. Enfim, entre as explicações sobre a confecção dos molhos e convites a dar umas cheiradas nos potes, consegui achar a cerveja Aspen e esse estranho refrigerante de nome Chinotto.

A primeira foi uma decepção: nem cheguei a provar. Quando a tirei da geladeira, vi que estava vencida há uns seis meses. Pelo menos fiquei com a latinha. O refrigerante, que supus ser esquisitíssimo, não era tanto: o problema, na verdade, é que ele causou amnésia temporária: sem brincadeira, não lembro do gosto. Logo, o "legítimo sabor da itália" fabricado em Caieiras e no Rio pela Convenção não deve ser tão ruim. Nem tão bom.  Outro dia voltei lá na Vila e até ensaiei passar na lojinha de novo para ver se havia novidades, mas quando viu o proprietário se levantar de uma cadeira com cara de quem estava pronto para começar uma aula de Herbologia, a Gi, prudentemente, me arrastou para fora.

Cotação: de um a cinco, quatro cordinhas no dedo para sempre olhar a validade do que compro...



Escrito por Bob às 02h34
[] [envie esta mensagem]


 
  

Kunstmann (Chile, 330ml) e Escudo (Chile, 330ml)

O que eu vou escrever agora é mais uma não-história minha e mais uma história do meu irmão mais novo. Foi ele quem me trouxe essas latinhas, uma retribuição justa para a marimba que eu trouxe para ele da África do Sul. No meio do ano, ele resolveu pegar, junto com a namorada, um ônibus de São Paulo a Santiago, no Chile. Apesar de puxada, a viagem parece muito legal (ao menos pelas fotos e pelo que ele me contou, o moleque viu a Cordilheira dos Andes em boa parte do caminho). Depois, ele foi sozinho a San Pedro do Atacama, com todas aquelas paisagens absurdamente inacreditáveis. Por fim, chegou pertinho dos vales de sal (salares) do Chile e da Bolívia, onde há até gêiseres (isso mesmo, talvez não sejam tão temperamentais como os do desenho do Zé Colméia, mas é algo que vale a pena ver).

Queria muito ter feito essa viagem nas férias, mas enrolei tanto que acabei não indo. Fiquei, então, com uma ponta de inveja quando meu irmão voltou e me deu essas latinhas, que não cheguei a provar. Esperto, ele tomou elas lá mesmo e conseguiu trazê-las intactas. Vou confiar na opinião dele e dizer que a Kunstmann, da Patagônia, é muito boa, enquanto a Escudo é mais "banal". Um dia ainda faço essa viagem e chego até os salares.

Cotação: de um a cinco, cinco doses de Simancol para aprender a planejar as férias bem antes de elas chegarem.



Escrito por Bob às 02h10
[] [envie esta mensagem]


 
  

Sakara Gold (Egito, 500ml)

e Efes Pilsen (Turquia, 330ml)

Não, o cachorro não mastigou essas latas. Juro que elas chegaram a mim assim mesmo, de presente, mas todas amassadas, já que quem as trouxe decidiu bebê-las e socá-las na mala. Contrariando os manuais de reparos em latinhas, decidi tentar consertá-las com métodos usados direto nelas (e olhe que a chance de ter uma igual nas mãos caso algo desse errado era menos que zero) e não em uma lata vagabunda que pode ser achada em qualquer esquina.

Com a maior, a Sakara, usei um método meio esquisito: comprei Club Soda, que tem mais gás que água com gás, enchi a lata e lacrei com filme plástico e um elástico. E coloquei no congelador. De certa forma, deu certo: a água com gás congelada se expandiu bem, a ponto de deixar a lata estufada de novo, mesmo com algumas marcas do amassado. O problema é que, na hora de descongelar, os amassados voltaram.

No caso da Efes, um dos amassados abriu um furinho na lataria, o que me impediu de testar o primeiro metodo. Parti, então, para uma solução mais radical: enrolei a lata com fita de vedação de tubos e a enchi com areia e água, para tentar expandi-la. Esse foi mesmo um fiasco: além de não ter dado certo, a lata até hoje ainda tem areia e mais parece um chocalho de aula de música da primeira série. Com isso, aprendi uma importante lição na hora de transportar latinhas (aprendi o catso, eu já sabia, mas me liguei que era necessário avisar as pessoas que traziam doações): sempre transporte as latas cheias.

Cotação: de um a cinco, não chega a dar PT (perda total), mas essa dupla bem que poderia passar uns dias em um martelinho de ouro das latinhas.



Escrito por Bob às 01h55
[] [envie esta mensagem]


 
  

Guaraná Cotuba (Brasil, 600ml),

Arco Íris Laranja (Brasil, 1 litro)

Guaraná Poty (Brasil, 600ml)

Guaraná Don (Brasil, 600ml)

Caixa de cerveja Inglesinha (Brasil)

Era uma vez um supermercado pequeno e obscuro, escondido entre casinhas residenciais de uma cidade do interior de São Paulo. Lá, entre gaiolas de passarinhos e carrinhos com tênis Conga em promoção, estavam escondidos tesouros inimagináveis para um caçador de preciosidades. Parece roteiro do Gremlins, em que o tiozinho acha o Gizmo na lojinha esquisita de um chinês, mas não é. Trata-se do Passador, um mercadinho em Barretos que vende coisas difíceis de achar em outros lugares. É fácil saber que você está perto: o dono tem uma penca de passarinhos que ficam cantando o tempo todo.

Lá dentro, em prateleiras feitas com caixas de grade, encontrei vários refris em garrafas de vidro, que, nos outros mercados da cidade, já são todos vendidos em Pet. Vou começar a prová-los no final de semana: o primeiro deve ser o Arco-Íris Laranja, em sua esquisita garrafa de um litro. Lá também tem Antarctica Cristal, que nunca tinha visto antes em outros lugares. E a cerveja é boa mesmo, diria que bem perto do nível da Original.

Mas o maior achado estava empilhado do lado de fora: uma caixa da antiga cerveja Inglesinha, toda suja e empoeirada, com alguns riscos na pintura. Até onde meu parco conhecimento de colecionador vai, já deixaram de fazer essa cerveja há um bom tempo: as latinhas dela que vi na internet, por exemplo, são todas de ferro. Além de achar a caixa bem legal, imaginei que fosse algo precioso. Perguntei para o dono se ele vendia: o elemento parou, pensou e deu preço: R$ 5. Saí achando ter feito um bom negócio e o tiozinho, provavelmente pensando o mesmo, além de imaginar o porquê daquele maluco de São Paulo ter comprado uma caixa suja e velha. Vou ver se começo no final de semana a restauração.

Cotação: de um a cinco, quatro. Espero que as garrafas não se multipliquem quando molhadas nem virem monstros se abertas após a meia-noite.



Escrito por Bob às 12h54
[] [envie esta mensagem]


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Coleções e miniaturas, Política


HISTÓRICO
 08/07/2007 a 14/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 18/02/2007 a 24/02/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 09/07/2006 a 15/07/2006
 02/07/2006 a 08/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 30/04/2006 a 06/05/2006
 19/03/2006 a 25/03/2006
 12/03/2006 a 18/03/2006
 26/02/2006 a 04/03/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 08/01/2006 a 14/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005



OUTROS SITES
 Associação dos Cervejeiros Artesanais Cariocas - AcervaCarioca
 Associação de Incentivo à Cultura de Cervejas Artesanais e Especiais - AICCA
 Botto Bier
 Cerveja Fraga
 Bytes and Beer
 Cerveja Só
 Dana Bier
 Edu Passarelli Recomenda
 Hummmm, Cerveja!!!!!
 Obiercevando
 Olavo Pascucci (atenção: linguagem assaz obscena)