Latinhas do Bob
  

Old Milwaukee (EUA, 355ml)

Desculpem a demora em atualizar este humilde blog que vos entope de abobrinhas com certa periodicidade. Passei por um período de falta de inspiração. E grande parte do problema, eu atribuo a essa latinha aí em cima, "la peligrosa", trauma de juventude que, depois de me causar um sério revertério nas tripas, ainda hoje me provoca efeitos colaterais, como falta de palavras para defini-la.

Diante disso, resolvi buscas inspiração no fundo de um barril de cinco litros de Paulaner. Calma, calma: não troquei todo sangue do meu corpo por cerveja. Mas que foram bem uns 2 litros, isso foram. Baqueou bem, mas já estou recuperado (crianças, não façam isso em casa, vou logo avisando...e nem num bar, espertinhos, o que torna o retorno para a cama bem mais complicado).

A náusea momentânea pós-cerveja acabou me reavivando as impressões sobre a Old Milwaukee. Como já disse algumas vezes, na minha juventude, havia no subsolo do Shopping Ibirapuera uma loja de importados. Com a abertura do mercado no início da década de 90, aquilo era uma maravilha para colecionadores de latinhas: havia mais de 100 tipos diferentes de cervejas, de todos os lugares do mundo. Nessa época, consegui latinhas bem legais da China, Polônia, Austrália e por aí vai. Tomava elas na manha, menos as japonesas, sobre as quais escreverei mais adiante, que eram maiores e precisavam ser sorvidas de uma vez.

O fato é que meu fígado juvenil dava conta do recado com grande facilidade. Nada de ressacas, dores de cabeça e nada. Podia tomar uma cerveja à noite e fazer prova no dia seguinte. Até que chegou a Old Milwaukee. Achei a latinha bem bacana, boa combinação de cores. Na hora de tomar, não parecia ruim (se bem que, na época, acho que não sabia diferenciar Pilsner Urquell de Sapporo, ô desperdício). Depois...

Perdi a conta, por assim dizer, das vezes que externei o meu "eu". Só me lembro de ter ficado assim quando misturei cerveja e saquê num aniversário. Não sei se foi culpa da cerveja que era ruim, se estava estragada ou se eu estava num mau dia. Sei que, se ficar perto de uma, não tomo, não. Ou até tomo, para tirar a prova dos nove. De qualquer forma, essa cerveja foi útil para outro propósito. Cunhar a máxima: cerveja boa é aquela que você não lembra que tomou no dia seguinte. Já a cerveja ruim nunca se esquece.

Cotação: e um a cinco, umas quatro tentativas de tiro ao alvo na água do vaso. Mas, como diz uma amiga, "bebe, fdp, bebe"...



Escrito por Bob às 03h48
[] [envie esta mensagem]


 
  

Malta (Brasil, 350ml)

Senão vejamos...ah, sim, lembrei o motivo pelo qual selecionei estas latinhas acima. Primeiro, peço que você, nobre leitor, olhe-as com atenção, de cima para baixo, parando nos detalhes.

Perceberam algo? Sim, elas são diferentes, mas por que? Aliás, qual é melhor: a primeira ou as duas últimas? É justamente isso que me chama a atenção. A primeira lata, como se pode ver, é o protótipo do envoltório da beberagem vil (ou seja, latinha horrível de cerveja vagabunda). É branca, o que quer dizer que o produtor não quer ter muito gasto com tinta. Tem as bordas e detalhes em dourado e vermelho, a forma mais primária de chamar a atenção entre muitas outras. E, de quebra, um brasão cafona, bem ao estilo dos distintivos de "esquadrões" do futebol de várzea, como o Arranca-toco de Vila Primícia ou o Pernetas do Fim do Mundo F.C.. A data, apesar de considerável (1956), é relegada a segundo plano. Enfim, uma latinha com design tosco (vale lembrar que, mesmo toscas, valem ser colecionadas, como já expliquei antes). Ao menos é sincera: o conteúdo também provoca malabarismos labiais ao ser ingerido. Mas isso não é lá uma boa propaganda. Você compraria? Só com pouca grana no bolso e muita cana na cabeça, certo?

Agora repare nas duas latas abaixo dela, em especial na última. A cerveja é a mesma, já as latinhas...Primeiro, elas ganharam cores, e não apenas aquele dourado bizarro de cabeça de lata. A primeira ainda é mais chamativa, porque vem num amarelo difícil de achar nas concorrentes. E aí começam as cascatas: logo de cara, está chapado um "Original Malta". O incauto bebedor pode depreender disso: "Nossa, se essa é original, é porque deve ser muito falsificada. Logo, deve ser uma cerveja boa da peste". Tsc, tsc, pobre coitado. Se a lata falasse, provavelmente diria: "Ô, seu treze, não tá vendo o 'original' aqui? Não chega perto que eu tô no veneno! E vê se sai andando sem olhar para trás, ô paquito!"

Prossigamos. Mais abaixo, um brasão mais discreto, com um "M" dentro de um escudinho, com um sol. Ladeando ele, as palavras "ANO" e "1985". Uma tentativa clara de dar um caráter ancestral à cerveja. É mais ou menos o que a Stella Artois tem com a fábrica da Leuven. A diferença é pequena: a versão belga tem mais de 500 anos. A tupiniquim, coitada, tem só 20 e, em alguns países, ainda seria barrada na porta dos bares. Mas fica com uma cara de ser super-tradicional. Ainda mais abaixo, um novo brasão, um barril de carvalho com acessórios e ingredientes da cerveja. Isso dá um caráter artesanal à bagaça; afinal, ninguém ia entender se colocassem a geringonça que fermenta e enlata/engarrafa a cerveja nos dias de hoje.

Enfim, se o desprotegido consumidor de cervejas não atentar para todos esses detalhes na hora de comprar uma latinha que nunca tomou, corre o risco de ir pelo ralo (a cerveja, claro). Parafraseando as nobres pornochanchadas brasileiras, a lata pode ser bonitinha, mas a bebida é ordinária. Ou lembrando os avôs e avós do mundo com o manjadíssimo ditado: "Por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento". Quanta maldade, coitadinha da cerveja, até eu fiquei com pena agora. Uma coisa seja dita: ela não está no mesmo nível de Kaiser, Guitt's e Primus, é melhor que isso, não dá dor de cabeça e não fede (ao menos não muito). Pena que outro dia eu vi um filme que dizia que as pessoas devem sempre buscar mais que o ordinário na vida...hehehehehe

Cotação: de um a cinco, três e meio para a contribuição de nosso nobre leitor, que sugeriu, maldosamente, que a cerveja "Malta" sem deixar vestígios. Pensei em outra: o anfitrião pouco consciencioso serve a tal cerveja ao visitante, que tenta achar o vaso mais próximo possível, já que o cachorro, temendo ser acusado injustamente de urinar no tapete ao ser avistado diante da mancha amarelada, deu linha faz tempo. Vendo a latinha esquentar na mão do conviva, ele pergunta: "Nossa, você deixou de consumir bebida alcoólica? 'Malta' bebendo?" Entenderam? Malta bebendo...huahuahauhauahaua... sem graça. 



Escrito por Bob às 03h49
[] [envie esta mensagem]


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Coleções e miniaturas, Política


HISTÓRICO
 08/07/2007 a 14/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 18/02/2007 a 24/02/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 09/07/2006 a 15/07/2006
 02/07/2006 a 08/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 30/04/2006 a 06/05/2006
 19/03/2006 a 25/03/2006
 12/03/2006 a 18/03/2006
 26/02/2006 a 04/03/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 08/01/2006 a 14/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005



OUTROS SITES
 Associação dos Cervejeiros Artesanais Cariocas - AcervaCarioca
 Associação de Incentivo à Cultura de Cervejas Artesanais e Especiais - AICCA
 Botto Bier
 Cerveja Fraga
 Bytes and Beer
 Cerveja Só
 Dana Bier
 Edu Passarelli Recomenda
 Hummmm, Cerveja!!!!!
 Obiercevando
 Olavo Pascucci (atenção: linguagem assaz obscena)